Pelecanus

Logo Pelecanus

Descubra a Principal Religião da Colômbia e o seu Impacto Cultural

Tomb of the San Agustin Archaeological Park

Atualizado em 12/03/2024

Caro leitor,

Também gostaria de recomendar nosso guia de viagem para a Colômbia, que oferece uma visão geral perfeita das atrações turísticas do país. Aproveite a leitura.

A Colômbia é um país cheio de tesouros escondidos. Neste blogue, vou levá-lo a explorar os lugares na Colômbia que a UNESCO honrou com o seu prestigiado título de Património Mundial.

  1. Parque Arqueológico de San Agustín.
  2. Parque Natural Nacional Los Katíos.
  3. Centro Histórico de Santa Cruz de Mompox.
  4. Parque Arqueológico do Tierradentro.
  5. Santuário de Fauna e Flora de Malpelo.
  6. Paisagem cultural do café.
  7. Qhapaq Ñan, Sistema Viário Andino.
  8. Parque Nacional Chiribiquete – “A Maloca do Jaguar”.
  9. Centro Histórico de Cartagena.

Parque Arqueológico de San Agustín

O Parque Arqueológico de San Agustín, uma reserva natural conhecida por abrigar mais de 500 esculturas pré-colombianas anteriores à descoberta da América por Cristóvão Colombo, foi designado Patrimônio Mundial da UNESCO em 1995 por sua significância histórica, cultural e simbólica.

O parque abrange uma área de 2.000 quilômetros quadrados (772 milhas quadradas), apresentando túmulos, estátuas e altares esculpidos em pedra, além de outras peças arqueológicas de alto valor histórico, criadas por tribos pré-colombianas. Alguns artefatos têm mais de 2.000 anos, constituindo um tesouro histórico inestimável.

Dentro de seus 116 hectares (287 acres), o parque exibe mais de 450 estátuas, sarcófagos, figuras, montes e esculturas megalíticas de pedra.

Essas esculturas de pedra proporcionam uma visão da enigmática cultura Agustiniana, cujas tradições e crenças ainda não são completamente compreendidas, envolvendo o local em uma aura de mistério.

Localização

O Parque Arqueológico de San Agustín está situado na bacia superior do rio Magdalena, aproximadamente 2,5 km a oeste da cidade de San Agustín, no departamento de Huila.

Curiosidades sobre o Parque Arqueológico de San Agustín

  • O parque possui a maior coleção de monumentos religiosos e esculturas megalíticas da América Latina, tornando-o a maior necrópole do mundo.
  • A maioria das estátuas foi construída entre os séculos I e VIII d.C. A cultura San Agustín se destacou na arte e arquitetura, tornando as estátuas uma exibição vívida do legado cultural dessa civilização, com grande parte do parque ainda não escavado.
  • A maioria das estátuas é esculpida em tufo vulcânico, uma rocha formada a partir de cinzas vulcânicas que é facilmente moldável. Os habitantes antigos conheciam isso, facilitando a escultura das estátuas.
  • O arqueólogo alemão Konrad Theodor catalogou as estátuas de San Agustín como um “gosto bárbaro”, acreditando que elas eram o elo perdido entre as esculturas pré-colombianas no norte e sul da América. Ele levou 35 esculturas, das quais apenas 3 estão atualmente em exibição no Museu Etnológico de Berlim.
  • O parque apresenta túmulos monolíticos e sarcófagos (caixões feitos de uma única peça de pedra), acreditados serem usados para enterrar líderes religiosos ou políticos da cultura Agustiniana.
  • O parque possui uma rede de caminhos pavimentados em pedra construídos pela própria cultura, conectando todas as áreas para fácil exploração.
  • Há um Museu Arqueológico no parque que abriga uma coleção de mais de 110 peças, incluindo cerâmica, artefatos líticos, estátuas, fragmentos de esculturas e outros objetos ancestrais relacionados à cultura Agustiniana.
  • O parque está localizado em uma zona de transição entre os Andes e a floresta amazônica, tornando-o um lugar ideal para observação de pássaros e borboletas.

Parque Nacional Natural Los Katíos

O Parque Nacional Natural Los Katíos abriga uma extraordinária diversidade de plantas e animais, muitos dos quais são endêmicos e ameaçados de extinção. Designado como Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1994, é reconhecido por seu papel crucial na troca de fauna e flora entre a América Central e do Sul.

O parque abrange uma área de 72.000 hectares (177.916 acres), compreendendo duas zonas distintas: uma zona plana de 34.000 hectares (84.015 acres) e uma zona montanhosa cobrindo 38.000 hectares (93.902 acres).

Dentro da rica biodiversidade de Los Katíos, é possível encontrar mais de 340 espécies de aves, mais de 100 espécies de mamíferos, 56 espécies de répteis, 43 espécies de anfíbios e uma diversificada variedade de 600 espécies de plantas.

Localização

O Parque Nacional Natural Los Katíos está no noroeste da Colômbia, nas regiões de Darién e Urabá, nos departamentos de Chocó e Antioquia.

Curiosidades sobre o Parque Nacional Natural Los Katíos

  • O nome do parque refere-se à cultura Embera Katío, uma das culturas indígenas mais antigas do território colombiano, conhecida por sua natureza rebelde.
  • O parque é o único lugar na América do Sul onde muitas espécies tipicamente centro-americanas são encontradas, como o crocodilo-americano, tamanduá-gigante e anta centro-americana.
  • Aproximadamente 20% das espécies de plantas no parque são endêmicas da região Chocó-Darién, o que significa que não são naturalmente encontradas em nenhum outro lugar do mundo.
  • O parque abriga diversas comunidades indígenas ancestrais como os Embera, Wounaan, Senu, mostrando a diversidade cultural e a preservação que existem no parque desde tempos antigos.
  • O Parque Nacional Natural Los Katíos é a única área protegida nesta região da Colômbia, tornando-se o último refúgio para muitas espécies que, de outra forma, enfrentariam a extinção.
  • O parque oferece oportunidades para atividades como visitar cachoeiras, piscinas naturais e trilhas, proporcionando não apenas valor científico e cultural, mas também alto valor turístico.

Centro Histórico de Santa Cruz de Mompox

O Centro Histórico de Santa Cruz de Mompox conquistou sua designação como Patrimônio Mundial da UNESCO em 1995, atribuída à notável preservação de seu centro histórico, que mostra vividamente a paisagem urbana e a arquitetura colonial espanhola do século XVII.

Localizado a uma elevação de 33 metros acima do nível do mar (108 pés), este município é atualmente habitado por aproximadamente 45.000 pessoas.

Durante a colonização espanhola e a independência, Santa Cruz de Mompox desempenhou um papel fundamental em eventos significativos. Serviu como um porto próspero para transportar mercadorias para o interior do país.

Localização

Mompox está situado na margem oeste de um dos afluentes do rio Magdalena, na chamada zona limpa da Ilha de Mompox, a 271 km de Cartagena, no departamento de Bolívar.

Curiosidades sobre Santa Cruz de Mompox

  • A origem do nome vem do grande chefe Mompoj da tribo Kimbay, cujo assentamento era onde a população atual reside. O nome mudou várias vezes desde então (Mompox ou Mompós).
  • A cidade foi uma referência comercial e logística intercultural significativa no Caribe durante os séculos XVII e XVIII, graças à sua localização estratégica no rio Magdalena.
  • Mompox era uma vila, mas foi elevada à categoria de distrito em 2017, proporcionando maior autonomia administrativa e financeira. Os distritos têm laços mais estreitos com o governo, recebendo mais recursos para preservar seu patrimônio.
  • Em vez de uma praça central típica como na maioria dos assentamentos espanhóis no continente, Mompox tem três praças alinhadas ao longo do rio. Cada uma tem sua igreja e corresponde a um antigo assentamento indígena, demonstrando a singularidade arquitetônica e cultural do centro histórico.
  • A cidade é conhecida por sua arquitetura colonial, sendo uma das mais bem preservadas do país. Exibe uma mistura de estilos arquitetônicos, incluindo o Barroco na ornamentação, Neoclássico na simplicidade arquitetônica grega e Mudéjar incorporando elementos cristãos e muçulmanos como tijolos e cerâmicas variadas.
  • Mompox foi usada como cenário para séries de TV como “La esclava blanca” e livros como “O Amor nos Tempos do Cólera” de Gabriel García Márquez. Esses produtos de entretenimento ajudaram a conscientizar sobre a cidade e seu valor cultural nacional e internacionalmente.
  • Mompox é renomada por sua expertise na intrincada arte da filigrana, a confecção manual de joias valiosas em ouro e prata. Essas técnicas foram transmitidas por gerações e ainda são preservadas.
  • A cidade foi um importante centro religioso internacional durante os séculos XVII e XVIII, devido ao grande número de igrejas e conventos. Pessoas religiosas de todo o mundo se reuniam aqui.
  • A ponte sobre o rio Magdalena, que conecta Mompox à estrada principal, foi construída em 2014, medindo mais de 12 km e sendo uma das pontes mais longas da Colômbia.

Parque Arqueológico de Tierradentro

O Parque Arqueológico de Tierradentro, com mais de 2.085 quilômetros quadrados (804 milhas quadradas), é uma reserva arqueológica que protege mais de 160 túmulos e 500 estátuas de pedra. Este local é um guardião da cultura e história dos antigos habitantes dos Andes colombianos na região sul durante os séculos VI a X d.C.

Designado como Patrimônio Mundial da UNESCO em 1995, possui importância primordial como reservatório da cultura pré-colombiana. Atualmente, é um excelente destino para aprender sobre a cultura pré-hispânica.

Similar ao Parque Arqueológico de San Agustín, o Parque Arqueológico de Tierradentro encapsula uma história ancestral profunda que, até hoje, não foi completamente decifrada.

Localização

Tierradentro está localizado a 100 quilômetros de Popayán, entre os municípios de Belcazár e Inza, no departamento de Cauca.

Curiosidades sobre o Parque Arqueológico de Tierradentro

  • O parque exibe hipogeus, túmulos subterrâneos com profundidades variando de 5 a 12 metros, construídos entre 600 e 900 d.C. Reconhecido como o complexo funerário subterrâneo mais extenso da América Latina.
  • Tribos pré-colombianas enterravam grupos de elite nos hipogeus, incluindo guerreiros, sacerdotes, chefes e artesãos com cargos mais altos.
  • Os hipogeus ou túmulos subterrâneos têm uma forma semelhante às antigas casas habitadas pelas tribos na região, com escadas, câmaras, figuras geométricas e zoomórficas, sugerindo uma simetria simbólica próxima entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos.
  • O parque é um local sagrado para a tribo indígena “Nasa”, que habitava esta área há séculos. Os Nasa consideram os hipogeus a moradia de seus ancestrais, e as estátuas são guardiãs espirituais de todo o território. Eles atualmente participam da conservação do parque ao lado de entidades ambientais.
  • O nome ‘Tierradentro’ é derivado de exploradores espanhóis que, ao alcançarem a área, sentiram como se tivessem entrado no interior da terra devido à geografia montanhosa e aos vales profundos.
  • Os murais que adornam as paredes e tetos dos hipogeus apresentam desenhos geométricos, zoomórficos e antropomórficos vermelhos e pretos, representando cenas da vida cotidiana, rituais, mitos e seres mitológicos.
  • O parque possui dois museus que você pode visitar: o Museu Arqueológico, exibindo objetos de cerâmica e metalurgia encontrados em escavações, e o Museu Etnográfico, que mostra aspectos da cultura do povo Nasa, que ainda habita a região.
  • As estátuas e montes funerários deste parque têm desenhos e formas semelhantes aos da cultura San Agustín. Há uma crença em uma relação próxima entre essas duas culturas, embora ainda seja um mistério.

Santuário de Fauna e Flora de Malpelo

Designado como Patrimônio Mundial da UNESCO em 2006, o Santuário de Fauna e Flora de Malpelo destaca-se como um paraíso natural crucial para a sobrevivência de espécies marinhas enfrentando ameaças internacionais.

Este santuário é habitat de 17 espécies de mamíferos marinhos, 7 diversas espécies de répteis marinhos, 394 espécies diferentes de peixes e 340 espécies de moluscos.

A ilha em si abrange uma área de 1,2 km², e o ambiente marinho circundante, protegido até hoje, se estende por mais de 4 milhões de hectares.

A topografia subaquática apresenta paredes íngremes, cavernas e túneis que mergulham a uma profundidade de 3.400 metros (11.155 pés).

Localização

Malpelo está situado a 490 quilômetros (304 milhas) a oeste do porto de Buenaventura, ocupando um espaço remoto no Oceano Pacífico Tropical Oriental.

Curiosidades sobre o Santuário de Fauna e Flora de Malpelo

  • A Ilha de Malpelo é o ponto culminante de uma cordilheira submarina de 1.400 quilômetros pertencente ao sistema Andino. Está em uma posição geográfica única em todo o Pacífico Tropical Oriental, incluindo correntes oceânicas, criando uma alta biodiversidade marinha.
  • O santuário é o principal berçário de inúmeras espécies marinhas em todo o continente americano. Aqui, você pode testemunhar espécies predatórias como tubarões, garoupas gigantes e peixes-vela, entre outros.
  • O santuário é conhecido por avistamentos do tubarão sem nariz, um tubarão de águas profundas, e um dos poucos lugares onde avistamentos foram confirmados.
  • A Ilha de Malpelo é um dos locais de mergulho mais recomendados da Colômbia e do mundo devido à sua beleza marinha, exploração de cavernas subaquáticas, paredes íngremes e riqueza marinha.
  • O santuário é um local essencial para pesquisas científicas em ecologia marinha e biologia. Numerosas expedições científicas são realizadas para estudar a vida marinha e os processos oceanográficos.
  • Também é conhecido como a nona maior e área de pesca marinha protegida do mundo, a maior na região do Pacífico Tropical Oriental.
  • O santuário não possui comunidades nativas ou colonização humana. A única presença é a da Marinha Nacional em pontos de controle. Os visitantes são principalmente pesquisadores científicos e entusiastas do mergulho.

Paisagem Cultural do Café

A Paisagem Cultural do Café é uma região colombiana onde se desenvolveu o cultivo de café nas pequenas propriedades tradicionais. É, de fato, um exemplo de adaptação humana a condições geográficas difíceis.

Declarada Patrimônio Mundial da UNESCO em 2011, reconhecendo seu valor natural, econômico e cultural.

Inclui seis paisagens cafeeiras e 18 centros urbanos nas cadeias ocidentais e centrais dos Andes.

Esta paisagem abrange seis áreas localizadas em 51 municípios nos departamentos de Caldas, Quindío, Risaralda e Valle del Cauca, com uma extensão de 141.000 hectares (348,621 acres). Possui altitudes que variam de 1.000 a 2.000 metros (3.281 a 6.562 pés) acima do nível do mar.

Curiosidades sobre a Paisagem Cultural do Café

  • Aqui, você encontrará as palmeiras de cera mais altas do planeta, crescendo entre 60 e 80 metros (197 a 262 pés) de altura e desenvolvendo-se apenas entre 1.500 e 3.000 metros (4.921 a 9.843 pés) acima do nível do mar. As palmeiras de cera criam a típica paisagem pitoresca do eixo cafeeiro.
  • A técnica de “cultivo em terraços” é um método de cultivo ancestral em que os agricultores construíram terraços escalonados para cultivar café de forma sustentável. Graças a essa técnica, é possível desfrutar de paisagens visualmente impressionantes e funcionais simultaneamente.
  • A Paisagem Cultural do Café destaca-se por sua riqueza natural, onde é possível observar florestas, rios, cachoeiras e fontes termais.
  • As áreas urbanizadas são caracterizadas por uma arquitetura criada por colonos da região de Antioquia, de influência espanhola. Apresentam paredes de adobe e pau a pique, juntamente com telhados de telha de barro.
  • O Eixo do Café também é conhecido como “O Triângulo do Café”, pois é composto principalmente por três departamentos: Caldas, Quindío e Risaralda. Esses três têm a maior tradição e cultura cafeeira do país.
  • Algumas áreas do Eixo do Café são caracterizadas pela presença constante de nevoeiro ou nuvens baixas, envolvendo a vegetação. Esse nevoeiro fornece umidade para muitas plantas e animais e cria uma paisagem incrível.
  • Nesta região, veículos Jeep Willys da era da Segunda Guerra Mundial são usados como transporte turístico ou de carga. É muito comum vê-los.
  • O Eixo do Café produz mais de 11 milhões de sacas de 60 quilos anualmente, exportando entre 8% e 12% do café Arábica total para todo o mundo.
  • Esta região é um bom destino para observação de aves, pois abriga 504 espécies, tanto endêmicas quanto migratórias, de todo o continente. Isso representa 26% da Colômbia e 60% de toda a região Andina. Lá, é possível observar o condor dos Andes, a maior ave voadora do mundo.

Qhapaq Ñan / Sistema Viário Andino

Qhapaq Ñan, também conhecido como Sistema Viário Andino, é uma maravilha da engenharia e arquitetura que conecta diversos territórios e culturas ao longo dos Andes.

Esta estrada foi construída para facilitar a comunicação, o transporte e o comércio durante o Império Inca no século XV.

Qhapaq Ñan foi declarado Patrimônio Cultural Mundial da UNESCO em 2014, reconhecendo seu valor histórico, cultural e social, bem como sua importância para a integração e desenvolvimento dos povos andinos.

Ele abrange 30.000 quilômetros (18.641 milhas) de estradas, pontes, túneis, escadas e outros elementos, atravessando seis países: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru, todos os quais também têm reconhecimento da UNESCO.

Localização

Estendendo-se desde os picos nevados dos Andes, a mais de 6.000 metros (19,685 pés) de altitude, até a costa do Pacífico. Especificamente, desde o sul da Argentina e do Chile até o sudoeste da Colômbia, no departamento de Nariño.

Curiosidades sobre o Sistema Viário Andino Qhapaq Ñan

  • A rede viária atingiu sua máxima expansão no século XV, estendendo-se por toda a cordilheira dos Andes, superando o comprimento total da Grande Muralha da China em 21.200 km (13.171 milhas).
  • Os Incas utilizaram essas estradas para fins defensivos e militares, permitindo-lhes administrar e defender seus domínios em todo o Império Inca. O império se estendia da Colômbia ao sul do Chile, cobrindo uma área de 2 milhões de quilômetros quadrados.
  • A rede viária foi construída usando uma técnica chamada “ushnu”, que envolvia cortar pedras em formas trapezoidais para se encaixarem perfeitamente sem a necessidade de argamassa, uma substância utilizada na construção desde os primórdios da humanidade.
  • É uma rede complexa, conectando todos os povos andinos por meio de uma série de rotas principais e secundárias, todas intricadamente entrelaçadas.
  • É um dos terrenos geográficos mais extremos globalmente e foi utilizado por séculos por caravanas, viajantes, mensageiros, exércitos e grupos populacionais de até 40.000 pessoas.
  • Esta rede viária é a única no planeta que se estende por zonas geográficas com os maiores contrastes de ecossistemas, variando de florestas tropicais e vales férteis a terras altas e desertos.
  • A rede viária foi um feito impressionante da arquitetura e engenharia inca, inicialmente projetada para resistir a terremotos e deslizamentos de terra.
  • Projetos atuais estão em andamento para restaurar o patrimônio para fins turísticos. É possível viajar nesta rede; no entanto, há seções que, infelizmente, são instáveis para o tráfego de veículos.

Parque Nacional Chiribiquete – “A Maloca da Onça”

O Parque Nacional Chiribiquete é a maior área protegida do país, cobrindo mais de 4.200.000 hectares (aproximadamente 16.243 milhas quadradas) de florestas, savanas, rios e montanhas.

Foi declarado Patrimônio Mundial da UNESCO em 2018, devido ao seu valor universal excepcional para a natureza e cultura.

Isso significa que é um lugar único no mundo que preserva a biodiversidade e a importância histórica da Amazônia colombiana.

O parque abriga uma grande quantidade de espécies na flora e fauna: 1.801 espécies de plantas, 209 espécies de borboletas, mais de 60 espécies de anfíbios, 240 espécies de peixes, 60 espécies de répteis, 410 espécies de aves e 82 espécies de mamíferos.

Além disso, muitos destes são endêmicos e ameaçados.

Localização

O Parque Nacional Chiribiquete está localizado no noroeste da região amazônica colombiana, especificamente nos departamentos de Caquetá e Guaviare.

Curiosidades sobre o Parque Nacional Chiribiquete

  • É considerado o lar da onça na América do Sul, onde esse animal é preservado e reverenciado. O parque também apresenta pinturas rupestres aludindo à onça, que, nas tribos indígenas, representa fertilidade e poder.
  • Esta área evita a liberação de milhões de toneladas de carbono na atmosfera. As florestas deste parque retêm cerca de 454 milhões de toneladas de carbono com sua cobertura florestal.
  • O Parque Nacional Chiribiquete é oficialmente a maior floresta tropical do mundo, com uma área aproximada de 4.268.095 hectares (aproximadamente 16.487 milhas quadradas).
  • É um dos lugares mais remotos do mundo e, devido à sua inacessibilidade e conservação, é um local único no planeta.
  • O parque é um dos poucos habitats no país onde a águia harpia e o bugio-vermelho são encontrados, ambas espécies notáveis da Amazônia colombiana. Atualmente, estão criticamente ameaçados devido à perda de habitat e à caça ilegal.
  • Chiribiquete é um dos lugares mais antigos do mundo, com pinturas rupestres que datam de 20.000 a.C. Isso o torna o mais antigo da América Latina e um dos mais antigos do planeta, com evidências arqueológicas.
  • As pinturas rupestres representam espécies extintas, como cavalos pré-históricos, preguiças-gigantes e mastodontes (parentes ancestrais dos elefantes). Acredita-se que os humanos que viviam aqui coexistiam com esses animais.
  • Chiribiquete é um lugar sagrado para os povos indígenas que vivem em isolamento voluntário (sem contato com grupos ou indivíduos), como os Piratapuyo, Yukuna, Tanimuka, entre outros. Essas tribos consideram este lugar a origem do mundo e o centro de sua cosmologia.
  • O ecoturismo é proibido nesta área, portanto, atualmente, a reserva só pode ser sobrevoada de helicóptero.

Centro Histórico de Cartagena

O Centro Histórico de Cartagena é uma área da cidade onde se pode encontrar uma coleção de fortificações, ruas, praças, igrejas e palácios. Este espaço preserva o estilo colonial e a história da conquista espanhola, bem como a independência da Colômbia.

Foi declarado Patrimônio Mundial da UNESCO em 1984 por ser um legado perfeitamente preservado e o conjunto mais completo de fortificações da América do Sul. Inclui baluartes, muralhas, baterias e fortalezas.

O Centro Histórico de Cartagena ocupa uma área aproximada de 1,5 km² (cerca de 0,58 milhas quadradas), cercada por uma muralha de 11 quilômetros construída entre os séculos XVI e XVIII para proteger a cidade de ataques de piratas. Hoje, é o resultado de estratégias de defesa militar para a cidade.

Localização

O Centro Histórico de Cartagena está localizado na costa norte da Colômbia, em uma baía voltada para o Mar do Caribe, na cidade de Cartagena, Bolívar.

Curiosidades sobre o Centro Histórico de Cartagena

  • As ruas do centro histórico são pavimentadas com grandes paralelepípedos chamados “balaustradas”. Essas pedras eram usadas como lastro em navios e, após serem descarregadas, eram usadas para pavimentar as ruas.
  • O centro histórico tem três portões de entrada: o Portão do Relógio, o Portão de San Diego e o Portão de Santo Domingo. Eles eram vitais para a defesa da cidade contra invasões durante o período colonial.
  • A Torre do Relógio é um dos monumentos mais importantes de Cartagena. Construída em 1631, tem 30 metros de altura e é considerado o relógio mais importante da Colômbia. É uma atração turística significativa.
  • A Plaza de los Coches é uma praça histórica localizada no centro da cidade velha de Cartagena. Construída no século XVII, foi o local onde escravos africanos eram vendidos como escravos. Hoje, a praça é uma atração turística.
  • A cidade foi fundada em 1533 e inicialmente chamava-se San Sebastián de Calamari. San Sebastián em honra a esse santo e Calamari, que na língua indígena significa caranguejo.
  • Cartagena era inicialmente uma cidade na Espanha, localizada na região de Múrcia. O nome atual de Cartagena na Colômbia é graças a esta cidade espanhola. Mais tarde, foi alterado para Cartagena de Índias para diferenciá-lo da cidade espanhola.
  • O Festival Internacional de Cinema de Cartagena acontece no centro histórico da cidade. É o primeiro festival de cinema latino-americano a existir, com sua primeira edição em 1960.
  • As “palenqueras” são vendedoras de frutas que percorrem as ruas do centro histórico de Cartagena. Elas são as mulheres mais fotografadas da Colômbia devido aos seus coloridos trajes tradicionais e à sua habilidade em equilibrar cestas de frutas.

Mais sobre a cultura colombiana

Search

About Author

Frank

Frank

Olá, eu sou Frank Spitzer, o fundador e o coração por trás da Pelecanus, uma operadora de turismo especializada em viagens na Colômbia. Meu percurso em viagens é amplo — já viajei para mais de 60 países, absorvendo culturas, experiências e histórias. Desde 2017, tenho usado essa riqueza global de experiência para criar experiências de viagem inesquecíveis na Colômbia.Sou reconhecido como uma das principais autoridades em turismo colombiano e tenho uma profunda paixão por compartilhar esse belo país com o mundo. Você pode ver um pouco das minhas aventuras de viagem e percepções sobre a Colômbia no meu canal do YouTube. Também sou ativo em plataformas de mídias sociais, como TikTok, Facebook, Instagram e Pinterest, onde compartilho a cultura vibrante e as paisagens deslumbrantes da Colômbia.Para fazer contatos profissionais, fique à vontade para se conectar comigo no LinkedIn. Junte-se a mim nesta incrível jornada e vamos explorar as maravilhas da Colômbia juntos!

youtube Facebook Instagram Pinterest Tiktok