Colômbia em Números: 28 Fatos e Estatísticas sobre a Colômbia 2022

Bogotá city center

Last updated on September 1st, 2021 at 11:41 am

Caro Leitor,
Meu nome é Frank e eu dirijo uma agência de viagens em Bogotá, Colômbia. Divirta-se enquanto lê!

Se você pretende conhecer a Colômbia em profundidade, deixe-me dizer-lhe que você está no lugar certo. Neste blog você pode encontrar alguns dos fatos mais importantes deste belo país.

Demografia sobre a Colômbia

Em 2018, o DANE (Departamento Nacional Administrativo de Estatísticas) realizou um censo que determinou os seguintes dados sobre a Colômbia.

População

O DANE determinou que durante o censo na Colômbia havia 48.258.494 pessoas, que foram distribuídas da seguinte forma:

  • Mulheres: Representam 51,2% (24.685.207) da população total.
  • Homens: Representam 48,8% (23.573.287) da população total.

Nesse período foi determinado que para cada 100 mulheres havia 95,5 homens.

Neste ano (2021) estima-se que a população colombiana atingirá 51.049.498 pessoas. O DANE estima que até 2064, a Colômbia atingirá seu pico populacional com 63.197.004.

Distribuição da população por idade

Durante o censo de 2018, foram distribuídos os 48.258.494 colombianos da seguinte forma:

  • As pessoas de 0 a 14 anos representaram 22,6% da população total.
  • As pessoas de 15 a 64 anos representaram68,2%da população total.
  • Pessoas com mais de 65 anos: representaram 9,1% da população total.

 

Habitação e Lar

Embora esses dois conceitos possam soar semelhantes, eles não são a mesma coisa. O DANE define-os da seguinte forma.

Habitação

Para o DANE, a habitação é “um lugar estruturalmente separado e independente, ocupado ou destinado a ser ocupado por uma família ou grupo de pessoas familiares que vivem juntos ou não, ou por uma pessoa que vive sozinha”.

Eles deixam claro que uma habitação pode ser “uma casa, apartamento, quarto, grupo de quartos, cabana, caverna ou qualquer abrigo ocupado ou disponível para ser usado como local de acomodação”.

Para 2018 foi determinado que havia 13.480.729 moradias, número que mostra um progresso considerável em relação aos 10.390.207 registrados no censo de 2005.

Lar

Por sua vez, o DANE define o lar como “uma pessoa ou grupo de pessoas que ocupam toda ou parte de uma moradia e que se associaram para compartilhar o sono e/ou a comida”.

Em 2018, foi determinado que havia 14.243.223 lares também apresentando aumento em relação a 2005, quando havia 10.570.899 lares.

Os 14.243.223 lares foram distribuídos da seguinte forma:

  • Lares de 1 pessoa: Representou 18,5% do total de lares do país.
  • Lares de 2 pessoas: Representou 21,7% do total de lares do país.
  • Lares de 3 pessoas: Representou 23,2% do total de lares no país.
  • Lares de 4 pessoas: Representou 19,5% do total de lares do país.
  • Lares de 5 pessoas ou mais: Representou 16,8% do total de lares do país.

Acesso a serviços básicos

Um fator importante na determinação do desenvolvimento de um país é que a maioria das pessoas tenha acesso a determinados serviços públicos, como eletricidade, aqueduto, encanamento, gás natural, coleta de lixo e acesso à internet.

Para 2018, o seguinte foi o percentual de pessoas que tiveram acesso a esses serviços:

  • Energia elétrica: 96,3% dos colombianos têm acesso a este serviço público.
  • Aqueduto: 86,4% dos colombianos têm acesso a este serviço público.
  • Encanamento: 76,6% dos colombianos têm acesso a este serviço público.
  • Gás natural: 66,8% dos colombianos têm acesso a este serviço público.
  • Serviço de coleta de lixo: 81,6% dos colombianos têm acesso a este serviço público.
  • Internet: 43,4% dos colombianos têm acesso a este serviço.

Onde moram os colombianos?

O censo de 2018 determinou que a população colombiana está distribuída da seguinte forma:

  • Cabeceira municipal (espaços urbanos): 77,1% dos colombianos vivem nestes espaços.
  • Centros populacionais e áreas rurais: 22,9% dos colombianos vivem em áreas rurais.

Pobreza multidimensional

Ao contrário de muitos, a pobreza não significa necessariamente se uma pessoa tem ou não dinheiro. Existem vários tipos de pobreza e é isso que as nações procuram medir.

Isso é definido como pobreza multidimensional, que analisa fatores como o acesso a um bom serviço de saúde, a qualidade da habitação, o tipo de emprego que uma pessoa tem, etc.

Para 2019, os resultados do DANE determinaram que pelo menos 17,5% da população nacional tinha algum grau de pobreza multidimensional.

A situação é pior nas áreas rurais, onde 34,5% das pessoas têm algum grau de pobreza multidimensional.

Nas áreas urbanas, a situação é melhor, já que 12,3% da população apresentava algum grau de pobreza multidimensional.

Cidades mais habitadas da Colômbia

De acordo com o Censo do DANE em 2018, as 5 cidades colombianas com mais habitantes são:

  • Bogotá: tem 7.412.566 habitantes.
  • Medellín (Antioquia): tem 2.427.129 habitantes.
  • Cali (Valle del Cauca): tem 2.227.642 habitantes.
  • Barranquilla (Atlantico): tem 1.206.319 habitantes.
  • Cartagena (Bolívar): tem 973.045 habitantes.

Recomendo que leia meu blog sobre as maiores cidades da Colômbia para aprender fatos mais interessantes.

Minorias e etnias

A Colômbia se destaca pelo seu multiculturalismo, há muitos grupos étnicos que são distribuídos da seguinte forma:

Indígenas

102 comunidades indígenas vivendo na Colômbia. Estas pessoas são descendentes dos ameríndios que originalmente habitavam o continente americano. Em 2018, na Colômbia, havia 1.905.617 indígenas, o equivalente a 4,4% da população.

População negra ou afro-colombiana

Chama-se o grupo de pessoas que descendem diretamente dos negros africanos que foram trazidos durante a época da conquista espanhola. Em 2018, na Colômbia, havia 2.950.072 afro-colombianos, o equivalente a 6,7% da população.

População raizal

É a população nativa que ainda vive nas ilhas de San Andrés, Providencia e Santa Catalina. Estas pessoas são o produto da miscigenação entre indígenas, espanhóis, franceses, ingleses, holandeses e africanos. Em 2018, na Colômbia, havia 25.515 raizales, o que equivalia a 0,05% da população.

Povo Palenquero

Este é o nome dado às pessoas que vivem no município de San Basilio de Palenque, no departamento de Bolívar. Este lugar foi a primeira vila livre durante o período da América colonial. Aí vieram os escravos que conseguiram escapar. Neste território se fala o palenquero.

Em 2018, na Colômbia, foram identificadas 6.637 pessoas como parte do Povo Palenquero, o equivalente a 0,1% da população.

Povo Rom

Também conhecido como ciganos, este povo é nômade e tem sua própria língua chamada romanese. Eles são descendentes da Índia. Sua chegada à Colômbia e à América remonta à época da conquista espanhola (século XV), diz-se que alguns membros desta comunidade estavam a bordo do navio de Cristóvão Colombo (que é considerado o descobridor da América). A partir deste momento seus descendentes começaram a alcançar diferentes territórios do continente.

Atualmente é possível encontrar membros do Povo Rom em diferentes departamentos, como Bogotá, Santander, Bolívar, Valle del Cauca e no Atlântico. Em 2018, na Colômbia, foram identificadas 2.649 pessoas como parte do Povo Cigano, o que equivale a 0,006% da população.

Religião

A Colômbia é um país majoritariamente católico. De acordo com o texto “Características e atitudes dos colombianos de acordo com sua religião“, em 2016 as pessoas deste país pertenciam a essas religiões:

  • Religião Católica: 73,7%
  • Outras religiões: 9,1%
  • Religião evangélica: 6,9%
  • Agnósticos: 6,5%
  • Religião protestante: 2,9%
  • Ateu: 0,9%

Nascimentos

Segundo o Banco Mundial, a taxa de natalidade durante o ano de 2019 na Colômbia indicou que para cada 1000 habitantes houve 14,65 nascimentos.

Em 2020, o DANE registrou que foram 619.504 nascimentos (51,3% dos homens e 48,7% das mulheres). Algo curioso é que, devido ao êxodo de migrantes venezuelanos que chegam à Colômbia, devido aos problemas políticos daquele país, 1 em cada 10 nascimentos registrados no país têm mães venezuelanas. 

Mortes

Segundo o Banco Mundial, na Colômbia, durante 2019, a taxa de mortalidade indicou que, por 1000 habitantes, 5,6 pessoas morreram. Para 2020, foram registradas 296,8 mil mortes.

Educação

A educação na Colômbia é dividida da seguinte forma:

  • Educação pré-escolar
  • Educação básica: É dividida em fundamental (primeiro, segundo, terceiro, quarto e quinto) e secundário (sexto, sétimo, oitavo e nono)
  • Ensino médio (décimo e onze)
  • Ensino superior (graduação e pós-graduação)

Alguns fatos sobre a educação colombiana são:

Taxa de alfabetização

De acordo com o último censo realizado pelo DANE, até 2018 a maioria da população colombiana relatou saber ler e escrever. Esses dados são divididos nas seguintes faixas etárias:

  • 0 a 9 anos: 40,60% destas pessoas relataram saber ler e escrever.
  • 10 a 19 anos: 97,30% destas pessoas relataram saber ler e escrever.
  • 20 a 29 anos: 96,57% destas pessoas relataram saber ler e escrever.
  • 30 a 39 anos: 95,96% destas pessoas relataram saber ler e escrever.
  • 40 a 49 anos: 94,50% destas pessoas relataram saber ler e escrever.
  • 50 a 59 anos: 92,47% destas pessoas relataram saber ler e escrever.
  • 60 a 69 anos: 88,71% destas pessoas relataram saber ler e escrever.
  • 70 a 79 anos: 82,35% destas pessoas relataram saber ler e escrever.
  • 80 a 89 anos: 74,97% destas pessoas relataram saber ler e escrever.
  • 90 a 99 anos: 70,51% destas pessoas relataram saber ler e escrever.
  • 100 ou mais: 73,50% dessas pessoas relataram saber ler e escrever.

Educação formal (do pré-escolar ao ensino médio)

De acordo com os dados mais recentes do DANE, em 2019 foram registradas mais de 9 milhões de matrículas em termos de educação formal. Estes estão divididos da seguinte forma:

  • Educação pré-escolar: 995.969 crianças foram matriculadas nesta modalidade.
  • Ensino básico fundamental: 4.182.201 crianças foram matriculadas nesta modalidade.
  • Ensino básico médio: 3.134.890 crianças foram matriculadas nessa modalidade.
  • CLEI (Ciclos Escolares Especiais Integrados): Estes focam em cursos especiais para jovens e adultos. Essa modalidade registrou 646.389 inscritos.

Ensino superior

De acordo com o Sistema Nacional de Informações do Ensino Superior (Snies), 843.767 novos alunos foram matriculados em 2018.

Algo curioso é que nos últimos anos as matrículas nas universidades caíram. Em 2016, foram registrados 952.988, em 2017, 912.468 e em 2018, 843.767. A redução das matrículas não tem uma causa específica, mas as dificuldades econômicas, o aumento do preço das matrículas anualmente e, sobretudo, a deserção são situações que influenciam esse fenômeno. 

Como mencionado pelo jornal El Tiempo, estima-se que até 2020 45% dos jovens que iniciam uma carreira não a concluam. Esta é a principal causa da queda nas matrículas. 

De acordo com o último relatório do Ministério da Educação Nacional intitulado “Destino do ensino superior de qualidade” (2012) é mencionado que para esse ano havia 81 universidades no país. Naquela época, 60% dessas instituições eram privadas, 40% públicas.

Além das universidades, na Colômbia existem outras instituições de ensino superior que oferecem outros cursos que são:

  • Tecnólogos: O ministério da Educação Nacional define-os como um título “relacionado a programas tecnológicos”
  • Técnico: Como um programa universitário, se concentra em uma determinada área, mas eles duram menos e focam mais na prática de um trabalho.

Em 2012, o Ministério da Educação Nacional determinou que havia 286 Instituições de Ensino Superior, das quais 81 eram universidades.

Saúde

Quanto à saúde, existem várias estatísticas interessantes que podemos encontrar, tais como:

Esperança de vida

O DANE define a expectativa de vida como “o número médio de anos que uma pessoa viveria, desde que sejam mantidas as tendências de mortalidade existentes em um determinado período “.

Em 2021, a expectativa de vida dos homens é de 73,32 anos. As mulheres vivem aproximadamente 79,75 anos, em média 6 anos mais que os homens. Até 2050, o DANE estima que a expectativa de vida aumentará para 76,39 anos para homens e 82,2 anos para mulheres.

Evolução da expectativa de vida na Colômbia

Graças aos avanços médicos e às melhorias na qualidade de vida em diferentes nações, a expectativa de vida vem aumentando como um fenômeno global.

A Colômbia teve um crescimento constante, nos últimos 30 anos a expectativa de vida sempre aumentou. Em 1990, os colombianos (homens e mulheres) viveram em média 69,8 anos e em 2019 aumentaram para 77,2 anos.

Na tabela a seguir podemos ver a evolução da expectativa de vida na Colômbia nos últimos 30 anos.

Evolução da expectativa de vida na Colômbia (1990-2019)

Our World in Data, CC BY, via https://ourworldindata.org/life-expectancy

Consumo de substâncias psicoativas

As substâncias psicoativas são definidas pela OPS (Organização Pan-Americana da Saúde) como “compostos naturais ou sintéticos, que atuam no sistema nervoso gerando alterações nas funções que regulam pensamentos, emoções e comportamento”.

Ao contrário da crença popular, na Colômbia o consumo de substâncias psicoativas ou mais especificamente drogas não é tão difundido.

Em 2019, o DANE realizou a Pesquisa Nacional de Consumo de Substâncias Psicoativas (ENCSPA), na qual, com uma amostra de 169.344 pessoas de 12 a 65 anos, determinou que as substâncias mais consumidas são:

  • Álcool:  84% dos entrevistados disseram ter consumido esta substância.
  • Tabaco (cigarros, cachimbos, charutos, etc.): 33,3% dos entrevistados disseram ter consumido esta substância.
  • Maconha:  8,3% dos entrevistados disseram ter consumido esta substância.
  • Cigarros eletrônicos: 5% dos entrevistados disseram ter consumido esta substância.
  • Cocaína:  2,1% dos entrevistados disseram ter consumido esta substância.
  • Medicamentos tranquilizantes: 1,8% dos entrevistados disseram ter consumido esta substância.
  • Substâncias inaláveis: 1,6% dos entrevistados disseram ter consumido esta substância.
  • Ecstasy: 0,7% dos entrevistados disseram ter consumido esta substância.
  • Basuco: 0,5% dos entrevistados disseram ter consumido esta substância.
  • Heroína: 0,1% dos entrevistados disseram ter consumido esta substância.

Morte por substâncias psicoativas

Outro fato que prova que na Colômbia o consumo de substâncias psicoativas não é tão comum é que a morte por overdose por essas substâncias é reduzida:

Morte por overdose de substâncias psicoativas na Colômbia (2010-2017):

  • 2010: 0,64 mortes por 100.000 habitantes
  • 2011: 0,63 mortes por 100.000 habitantes
  • 2012: 0,63 mortes por 100.000 habitantes
  • 2013: 0,62 mortes por 100.000 habitantes
  • 2014: 0,62 mortes por 100.000 habitantes
  • 2015: 0,63 mortes por 100.000 habitantes
  • 2016: 0,65 mortes por 100.000 habitantes
  • 2017: 0,67 mortes por 100.000 habitantes

Notas

  • Uma morte por substâncias psicoativas inclui overdose de álcool ou qualquer droga, como cocaína, maconha, etc.

Graças aos dados acima, a Colômbia tem sido o país, na América Latina, durante o período (2010-2017) que registrou menos mortes por essa causa, como podemos evidenciar na linha do tempo seguinte de Ourworldindata.  

Our World in Data, CC BY, via https://ourworldindata.org/grapher/death-rates-substance-disorders?region=SouthAmerica&country=~BRA

Obesidade e desnutrição

Na Colômbia, é realizada periodicamente a Pesquisa Nacional de Situação Nutricional (ENSIN), a última foi realizada em 2015 e determinou os graus de obesidade e desnutrição em diferentes idades. Os resultados foram:

Crianças de 5 a 12 anos (desnutrição)

  • 7 em 100 crianças presentaram desnutrição crônica.
  • Nos domicílios mais pobres do país, o problema é exacerbado e foi relatado que 11 em cada 100 crianças estavam cronicamente desnutridas.
  • No caso das comunidades indígenas, a situação é pior, com 30 em cada 100 crianças cronicamente desnutridas.

Crianças entre 5 e 12 anos (Obesidade)

  • 24,4% das crianças estavam acima do peso.

Adolescentes de 13 a 17 anos (desnutrição)

  • 1 em cada 10 adolescentes no país apresentou desnutrição crônica.
  • 36,5% dos adolescentes indígenas apresentaram desnutrição crônica.

Adolescentes entre 13 e 17 anos (Obesidade)

  • 17,9% dos adolescentes estavam acima do peso.

Adultos entre 18 e 64 anos

  • 1 em cada 3 adultos estava acima do peso.
  • 1 em cada 5 adultos tinha obesidade.
  • 56,4% da população apresentava algum tipo de excesso de peso.

Turismo

O turismo na Colômbia aumentou exponencialmente nos últimos anos. Por muito tempo este país não foi uma atração turística porque a violência na Colômbia gerou medo em muitos dos potenciais visitantes.

Se formos para o início do século XX, podemos ver que a Colômbia foi um dos países latino-americanos que receberam menos turismo (veja o mapa abaixo).

Dando o exemplo, em 2001, este país recebeu aproximadamente 616 mil turistas, enquanto o Brasil tinha mais de 4 milhões. Você pode conferir o número de turistas na América Latina nesta linha do tempo de Ourworldindata.

Our World in Data, CC BY, via https://ourworldindata.org/grapher/international-tourism-number-of-arrivals?time=2001®ion=SouthAmerica

A situação nessa área melhorou nas últimas décadas. A diminuição da violência e melhores estratégias conseguiram atrair multidões de turistas. Segundo o Ministério do Comércio, Indústria e Turismo (CITUR), o país tem tido um crescimento constante no turismo desde 2012. Em 2019, a Colômbia recebeu 2.814.025 turistas estrangeiros como podemos ver na tabela a seguir.

Retirada de: MINCIT https://www.citur.gov.co/estadisticas/df_viajeros_ciudad_destino/all/2#gsc.tab=0

Como todos sabem, o COVID-19 atingiu muito fortemente o setor turístico em todo o mundo, razão pela qual em 2020 apenas 791.673 turistas foram registrados.  

Departamentos mais visitados da Colômbia

Desde 2020 e 2021 têm sido anos difíceis e raros para o turismo, vou mostrar os apartamentos mais visitados por estrangeiros durante 2019.

De acordo com o Ministério do Comércio, Indústria e Turismo, os departamentos mais visitados durante 2019 foram:

  • Bogotá: com 1.259.414 turistas
  • Bolívar: com 530.178 turistas
  • Antioquia: com 438.530 turistas
  • Valle del Cauca: Com 198.849 turistas
  • Ilhas de San Andrés, Providencia e Santa Catalina: Com 98.603 turistas

Razões para viajar para a Colômbia por parte de estrangeiros (2019)

De acordo com o Ministério do Comércio, Indústria e Turismo, os principais motivos para viajar para a Colômbia em 2019 foram:

  • Educação:  2,12% dos turistas viajaram ao país por este motivo
  • Razões de trabalho: 14,24% dos turistas viajaram para o país por este motivo
  • Outros motivos: 6,27% dos turistas viajaram para o país por este motivo
  • Razões religiosas: 0,05% dos turistas viajaram para o país por este motivo.
  • Motivos de saúde: 0,76% dos turistas viajaram para o país por este motivo.
  • Trânsito (ficar no país por um dia para pegar outro voo): 4,03% dos turistas viajaram para o país por este motivo.
  • Feriados:  72,38% dos turistas viajaram para o país por este motivo.
  • Visita à família ou amigos: 0,15% dos turistas viajaram para o país por este motivo.

Violência

A Colômbia tem sido uma nação repleta de violência. Alguns fatos sobre este fenômeno são:

Homicídios

Este tipo de crime assola a Colômbia há anos. Vamos levar um ano como referência, em 1996 foi registrado que, para cada 100 mil habitantes, 74,8 pessoas foram vítimas de homicídio, a pior taxa entre todos os países da região.

Our World in Data, CC BY, via https://ourworldindata.org/homicides

Apesar de ter taxas de homicídios tão altas, a Colômbia nos últimos anos tem mostrado uma tendência positiva, como vemos no gráfico a seguir, onde mostramos como desde 2002 os homicídios têm diminuído a cada ano (com exceção de 2011 e 2012, o que mostrou um ligeiro aumento nessa modalidade criminosa).

Our World in Data, CC BY, via https://ourworldindata.org/grapher/homicide-rate?tab=chart®ion=SouthAmerica&country=~COL

Os dados mais recentes registrados no OurWorldinData mostram como para 2017, para cada 100.000 habitantes, 29,7 pessoas morreram. Esta ainda é uma taxa bastante alta, mas não se compara ao que era anos atrás. 

Direitos humanos

A Colômbia ainda está consideravelmente atrasada na implementação e no respeito pelos direitos humanos.

O OurWorldinData nos mostra uma linha do tempo em que é possível analisar o respeito e a implementação dos direitos humanos em diferentes países, com uma classificação que varia desde -3,8 (sendo a pior classificação da região) e 5,4 (a melhor).

Na Colômbia é evidente como durante os anos de 1997 a 2004 tivemos a pior classificação de toda a América Latina:

1997: -2.51
1998: -2,47
1999: -2.44
2000: -2,5
2001: -2,52
2002: -2,54
2003: – 2,56
2004: -2,5

Our in World Data, CC BY, via https://ourworldindata.org/grapher/human-rights-scores?time=1997®ion=SouthAmerica&country=CHN~HUN~PRK~KOR~NOR~ALB

A Colômbia teve uma evolução positiva de 2004 a 2017 (última data com dados). Em 2017, esta nação obteve a classificação de -0,89, uma classificação que ainda é baixa, mas que mostra uma evolução em relação aos anos anteriores, como em 2002, quando foi avaliada com um – 2,54.

Crimes relacionados com o tráfico de drogas

O tráfico de drogas também tem sido um dos males que afetou a Colômbia. Infelizmente, este é o país de Pablo Escobar, que era o traficante de drogas mais poderoso do mundo e um dos mais temíveis cartéis de drogas, como Medellín ou Cali.

Segundo a revista Semana, durante o boom do tráfico de drogas (anos 80 e 90) foram gerados os seguintes crimes:

  • 623 ataques que resultaram na morte de 402 civis e 1702 feridos.
  • 550 policiais mortos.
  • 100 bombas foram colocadas em supermercados, bancos, escolas, etc.
  • Mais de 90 bombas em diferentes partes do país.
  • Um carro-bomba nas instalações do DAS (era uma agência de inteligência do governo) feriu 700 pessoas e 70 pessoas morreram.
  • Bomba em um avião da Avianca. 111 pessoas foram mortas.

Somente nos anos de 1989 e 1993, morreram 15.000 pessoas. Se você está interessado em ver como toda a situação de violência no país mudou, nos últimos anos, convido você a ler meu blog sobre mitos da Colômbia.  

Biodiversidade

A Colômbia é considerada o segundo país com mais biodiversidade do planeta, (atrás apenas do Brasil). Alguns fatos interessantes são:

Animais

Segundo o SiB Colômbia, em 2020, neste país havia aproximadamente 58.312 espécies de animais.

Até agora é impossível determinar exatamente quantas espécies existem neste país. O site do SiB Colombia menciona que “uma dessas aproximações, feita por Arbeláez-Cortés (2013), estima que poderiam existir entre 200.000 e 900.000 espécies na Colômbia”.

Como podemos ver no gráfico a seguir, todos os anos, durante o período 2007-2015, nove espécies foram descobertas na Colômbia, o que demonstra a incrível biodiversidade do país.

Retirada de: Instituto Humboldt http://www.humboldt.org.co/es/boletines-y-comunicados/item/1087-biodiversidad-colombiana-numero-tener-en-cuenta

Aves
A Colômbia possui atualmente 1.999 espécies de aves (registradas). Isso significa que 20% do total de espécies de aves no mundo estão presentes na Colômbia. Atualmente, 82 espécies endêmicas foram descobertas (apenas presentes neste território). Há também uma estimativa de 158 aves migratórias.

Mamíferos
De acordo com o SiB Colômbia para 2021, neste país existem 528 espécies de mamíferos, incluindo 58 endêmicas.  

Peixes
De acordo com o SiB Colômbia para 2021, há 4013 espécies de peixes registrados no país. 109 dessas espécies estão em algum grau de perigo de extinção.

Insetos
De acordo com o SiB Colômbia para 2021, existem 11.764 espécies de insetos no país. Somos o segundo país com a maior variedade de borboletas do mundo, com 4059 espécies registradas.

Para saber mais, leia meu blog de animais endêmicos da Colômbia.

Vegetação

Somos o segundo país com o maior número de plantas do mundo. Segundo o SiB Colômbia, até 2021 registramos 26.232 espécies de plantas e 6.206 delas são endêmicas. Somos o país com mais orquídeas do mundo com aproximadamente 3179 espécies.

Clima

A Colômbia se destaca por ter vários climas que estão distribuídos nos diferentes espaços do território nacional. Isso se deve aos chamados pisos térmicos, nos quais a temperatura varia dependendo da altitude em que você está.

Estes são os pisos térmicos presentes na Colômbia e a porcentagem de território em que estão localizados:

Piso quente (+25 °C)
Caracteriza-se por ter uma altitude que varia de 0 a 1000 metros acima do nível do mar. O piso quente é o mais encontrado no país, cobrindo 80% do território nacional. 

Piso temperado (24 – 18 °C)
Este piso térmico abrange os territórios que têm uma altitude que varia de 1000 a 2000 metros acima do nível do mar e está localizado em 10% do território nacional.

Piso frio (18 – 12 °C)
O piso frio é caracterizado por ter uma altitude que varia de 2000 a 3000 metros acima do nível do mar. Este piso térmico está localizado em 7,9% do território nacional.

Piso Páramo (12 – 0 °C)
O piso páramo está localizado nos territórios que têm uma altitude que varia de 3000 a 4000 metros acima do nível do mar. Cobre 2% do território nacional.

Piso glacial (-0 °C)
O último piso térmico é o glacial e está localizado em áreas com altitude superior a 4000 metros acima do nível do mar. Este piso térmico está localizado em 0,1% do território nacional, em lugares específicos como a Sierra Nevada de Santa Marta.

Se você quiser ter um pouco mais de informação sobre o assunto, você pode ler meu guia sobre o clima da Colômbia para viajantes.

Exportações

Alguns dos produtos de exportação da Colômbia são:

Petróleo

Normalmente, mais de 800.000 barris de petróleo por dia foram produzidos na última década. Para 2020, foi registrada a pior média dos últimos anos, com 781,3 mil barris por dia.

Carvão

Uma das exportações mais importantes da Colômbia é o carvão. Segundo o Ministério do Comércio, Indústria e Turismo, durante 2019 (nos meses de janeiro a novembro) esse combustível representou 55,9% das vendas totais da Colômbia. A Colômbia normalmente produz mais de 100 milhões de toneladas. Em 2018, foram produzidas 115 milhões de toneladas e, em 2019, 105 milhões de toneladas.

Café

O café é um dos principais produtos da Colômbia. Segundo a federação cafeeira, no ano de 2020 foram produzidas 13,9 milhões de sacas de café. Quanto às exportações, em 2020 foram enviados ao exterior 12,5 milhões de sacas de café, o que significa que a maior parte do café produzido é para exportação.

Caro leitor

  • Gostou do nosso conteúdo? Convidamos você a compartilhá-lo e espalhar a mensagem de que a Colômbia é um dos países mais bonitos do mundo.

Posts relacionados

Em nosso Blog você encontrará informações sobre nossas experiências passadas, assim como dicas úteis para planejar sua viagem à Colômbia.